segunda-feira, 11 de abril de 2011

Inesquecível . . .



Inesquecível tua voz, teu acalanto,
como também as horas que passei contigo;
e as lembranças que hoje são o meu castigo
e que temperam com pimenta este meu pranto.

Inesquecível, mais que meu amor primeiro.
foi o momento em que te amei qual louca
(eu não sabia: era o encontro derradeiro)
e cuja falta deixa amarga a minha boca.

Inesquecível para mim o teu carinho
que hoje recordo na frieza do meu quarto.
Inesquecível : tua ausência em meu caminho
e tão sozinho busco amparo em minha mente teu retrato.

Se para ti nada mais são esses momentos,
se nem ao menos rondam mais teus pensamentos
se nada fui, ou se o fui, já não sou nada,

Por que, então, de vez em quando me procuras
para trazer-me mais tristezas e amarguras
deixando após, mais solitária a caminhada?

Nenhum comentário:

Postar um comentário