segunda-feira, 2 de maio de 2011

A culpa é sua, seu idiota!



O todo é mais que a soma das suas partes”

Eu estava assistindo a uma de minhas séries favoritas “Friends” e a série trata muito de relacionamentos. Neste episódio específico eu “me dei conta” (ou pelo menos me propus a pensar fixamente sobre) de o quanto sofremos a toa por culpa nossa, e só confirma as afirmações de que a fonte de todos nossos problemas e crises de relacionamento com o mundo são frutos da maneira que NOSSA MENTE se relaciona com o mesmo.

Bom, basicamente o episódio que gira em torno do personagem principal da série passa uma mensagem “Todos tem bagagem”.
A partir daí eu comecei a remoer mentalmente, e foi fazendo cada vez mais sentido essa teoria dentro do nosso universo pervertido, e como produto tive estas 3 variáveis:

·         Você não é único ( metaforicamente falando )  na vida dela.
·         Você não é o primeiro, caso seja o primeiro não será o último.
·         O poder das mulheres nos “desligarem”.

O que acontece: 

Conhecemos uma garota, ficamos encantado por sua beleza e pelo que acreditamos conhecer sobre ela, nossa natureza carente por encontrar a mulher certa/desesperada por pegar uma mulher, nos permite criar a imagem mais bela dela. Criamos a perfeita bolha de amor onde os dois se isolam do mundo, e acreditamos fielmente que ela é O QUE DESEJAMOS que ela seja.
Daí pra frente meu amigo…. só desapontamento.

Você não é o único ( metaforicamente falando )   na vida dela!

Meu caro, você se engana muito se pensa que a vida é preto ou branco, bem ou mal. Digamos que a vida seja tons de cinza, e a mesma capacidade que eu tenho para fazer o bem aqui, tenho também para fazer o mal.
Ela está com você mas não está morta, você não é o único homem da face da terra, tem mais gente em cima xavecando, olhando, com desejo, com inveja. E por mais que ela esteja com você agora daqui a alguns meses, semanas, dias, horas ou segundos ela pode não estar. Nada é fixo, nada é para sempre. Você não é o único no páreo, e nem será o único a brincar no playground.
Daqui extraímos que no presente a vida dela e as interações dela não se restringem ao momento vocês.

Você não é o primeiro, caso seja o primeiro não será o último.

Todos tem bagagem, não importa o tipo. Todos trazem para o momento atual da vida fatos que viveram no passado e que de alguma forma os marcou, isso é caracterizado como “bagagem”. Temos exemplos de mulheres “Apaixonada pelo ex”, “mal tratadas”, “traídas”, “apanharam”. Dentre muitos outros… E tais bagagens influenciam sim nas atitudes atuais dela e moldam o comportamento.

( Em psicologia comportamento é a predisposição perante algo e atitude é a ação perante algo.)

Daqui extraímos que fora do momento presente que vai muito além do momento vocês, ela tem os momentos passados que ela já viveu com outros homens que podem ter deixados angústias, receios, saudades, e inevitáveis comparações e também existem os momentos futuros que são as projeções do que ela espera que a vida amorosa dela venha a ser.

O poder das mulheres nos “desligarem”

Você consegue saber quando aquele vendedor quer te empurrar uma porcaria? Sabe quando seu amigo esta mentindo pra você? Sabe quando seus pais te escondem algo? Sabe quando seu time vai perder? Sabe quando o professor fará uma prova realmente difícil?
Provavelmente você respondeu sim a boa parte destas perguntas.
Agora, você sabe como aquela gata ali passando reagiria se você chegasse nela?

“Será que ela vai me dar um toco?” – “Será que ela namora?” – “Será que ela quer que alguém vá falar com ela?”

Reparou qual o problema? ENVOLVIMENTO EMOCIONAL.
As mulheres “desligam”. Qualquer tipo de envolvimento emocional, desejo, compaixão, pena, apreço desliga nosso lado racional. E nos permite tomar atitudes que não tomaríamos normalmente… ou racionalmente (alguns chamariam de coragem, mas esse não é o cerne da questão).
Continuando… com o tempo passando a explosão emocional, vemos racionalmente as merdas que fizemos por uma mulher, ou a forma que agimos, assim surgindo perguntas “Como pude ser tão burro?!”. E daí surge toda aquela bandinha
Agora, vem cá. Não sei se você percebeu, mas eu vou dizer uma vez:

A CULPA É SUA, SEU IDIOTA!

Como eu disse no comecinho do texto, a culpa é da sua mente. Da forma que você se relacionou com ela, se relaciona com o mundo, se relaciona com você mesmo.
NÓS SOMOS A FONTE DE NOSSOS PROBLEMAS E OS PROBLEMAS SÃO DO TAMANHO DA IMPORTÂNCIA QUE DAMOS A ELE.

Sintetizando as variáveis que de como enxergamos as mulheres chegamos a conclusão de como nós somos os agentes principais dos nossos problemas com mulheres. E podemos ir além esta conclusão se aplica a todas as áreas da nossa vida.
“O todo é mais que a soma das suas partes”
O problema aqui é a incapacidade de enxergar além do próprio umbigo, além da própria vida.
Citação:
Exemplo: Se você pegar seu brinquedo preferido da infância, suponhamos que seja um carrinho. A composição dele é: rodas, eixo, carenagem de plástico, pintura. Que forma o que no português cognitivamente chamamos de carrinho. Mas o processo psicológico dele para você é maior, pode te trazer lembranças da infância, ou lembrar de como você não queria dividi-lo com irmão. E para mim pode me lembrar de algum brinquedo, brincadeira ou fato da minha vida. Ambas interpretações são diferentes e vão ALÉM do que é o carrinho em si.
Ou seja, cada coisa na sua vida tem um valor para você. Cada grupo social que você se insere tem um valor para você, e esse valor é diferente do valor que as outras pessoas inseridas nesse mesmo grupo tem do grupo.
Você está inserido em vários grupos: família, escola, vários grupos de amigos, faculdade, trabalho, cidade, prédio, time, país. E desempenha diferentes papéis: filho, pai, irmão, aluno, amigo, melhor amigo, amigo odiado, chefe, empregado, cidadão, vizinho, torcedor.
Você é uma coisa em cada grupo, você se vê com valor diferente em cada grupo, e seja no presente, ou em momentos de vida que você viveu em diferentes grupos. Você foi várias pessoas diferentes.
E se alguém tentar descobrir quem você é somando todas estas suas facetas vai chegar a soma das partes.
Entretanto a soma de tudo isso será apenas uma interpretação para pessoa, quando na realidade a soma de tudo isso é muito mais.

A soma de tudo isso é você.

Somente você sabe as relações entre os vários momentos que você viveu em sua vida, e como eles se relacionam, a soma básica das bases é muito pouco comparado ao significado que elas tem para você, e a relação que elas exercem no seu comportamento e atitudes.
Dito isso, podemos estender essa teoria para todas as pessoas. Todas as pessoas, e todas as mulheres são únicas. Em cada esfera elas tem um valor, que não representa quem elas são de verdade.

Então, por que diabos você acredita que conhece alguém por estar em contato com apenas uma pequena parte do todo desta mulher?
Alguém te conhece de verdade por conhecer apenas uma parte do seu todo?

Nenhum comentário:

Postar um comentário