terça-feira, 3 de maio de 2011

Minha segunda colaboração aos amigos . . .


Segundo convenções sociais eu devo ser o primeiro a falar que tudo é culpa do cavalheirismo e todo aquele charme que as feministas fazem questão de dizer não. Não que seja hora de abordar o assunto feminismo, mas eu faço questão de ser Homem e de ser tratado diferente, eu trato os iguais igualmente e os desiguais conforme suas desigualdades, obrigado, Aristóteles, por existir.               
E eu adoro Cavalheirismo.

Mas não é de Aristóteles, Feminismo, Convenções Sociais ou Cavalheirismo que esse primeiro texto vai tratar, na verdade vou começar falando de Mulher e Sexo.

Começando com nos os  Homens: Rapazes, elas Adoram Sexo.
Falam de Sexo.
Pensam em Sexo.
Sentem falta de Sexo.

E estudos comprovam que falam mais sobre sexo que nos mesmos, mas claro, falam com outras mulheres.

E você já sabia disso? Que bom, por que alguns não sabem, não imaginam ou não gostam nem de pensar no assunto.
Mulheres: É feio falar de sexo?
É coisa de vadia?
Vagabunda?
Mulher Fácil?
Piriguete?
Dadeira?
Se você acha isso, melhor rever seus conceitos ou sei lá, fechar essa página e abra um blog de contos de fadas.

Revistas Capricho falam de sexo. E olha que é Capricho, nem falei NOVA.
Como você encara esse assunto é o que determina como você encara seus próprios desejos, na verdade tudo depende do valor que você se propõe a se dar.

Veja bem, vamos logo com assunto polêmico, dar no primeiro encontro. Isso é um inferno na vida de uma mulher. Essa é a duvida mais cruel, nojenta, filha da puta, sacana que existe na vida de uma mulher e sabe por que?

Por que elas acreditam que isso influencia diretamente na visão que nos homens passamos a ter de uma mulher.
Se ela deu no primeiro encontro estava:

a) Desesperada.
b) Mostrando seu lado Vagaba.
c) Desesperada.
d) Sendo ela mesmo. Afinal, ela faz isso com todos.
e) Todas as alternativas anteriores.
Pelo menos é isso que passa pela nossa cabeça. E eu não duvido que passe pela cabeça delas também.

E olha que dá para falar muito desse assunto de dar no primeiro encontro, mas também não é disso que eu quero falar com detalhes .

A mesma coisa acontece quando o assunto é Sexo. Parece que sexo é ruim, sexo é coisa de gente feia, parece que é sempre vulgar e só tem amor quando o negócio acontece no casamento (grande coisa, têm casais que se desrespeitam muito mais na cama do que aquela duplinha que você viu transando atrás do carro no estacionamento da show).

Tudo depende do valor que atribuímos a nós.
Se ela, mulher, quero transar no primeiro encontro por que esta afim. Ela vai lá e transa e pronto acabou. Se o cara achar que ela e vagabunda o problema é exclusivamente dela por que Ela sabe que Ela não e vagabunda.

Agora se ela não quiser transar no primeiro encontro a decisão é dela e você continua sabendo que ela não é uma vagabunda.
Cada mulher sabe aonde seu calo aperta. Tem aquelas que não se ligam muito emocionalmente, tem aquelas que se apaixonam perdidamente, tem aquelas que não conseguem fazer nada enquanto não passarem 3 meses e 2 dias nos conhecendo, tem aquelas que não querem nem saber! – minhas favoritas kkkkkkk

E cada uma é feliz do jeito que é, não precisa de ninguém dizendo que aquilo é certo ou é errado, por que o que importa é o prazer mútuo (com segurança é claro, ninguém merece acordar no dia seguinte fazendo a lista de possíveis DSTs e se preparando para o jejum, exame de sangue e etc.).

Se você quiser ainda pode fazer combo de Prazer mais Amor.
E outra coisa, solteiro, casado, namorando, enrolado, não importa. Com amante, sem amante, com a sua mão, com a mão de outra pessoa, não importa. O que importa é o prazer mútuo, sexo é literalmente dar e receber!
E é exatamente por que somos felizes do jeito que somos .
Cada um com seus fetiches.
E vamos falar sobre esse assunto pra lá de polêmico com a maior naturalidade do mundo.
Afinal todo mundo aqui sabe o que é que tem no meio das pernas!
 (E os dois dos mesmos donos!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário