domingo, 1 de maio de 2011

Não Entendo . . .




Não entendo teus atos
Nem o que queres de mim
Uma hora afaga-me
Outra me ignora

Não compreendo tuas intenções
Nem pretensões para comigo
Em um instante instiga-me
Em outro foge de mim

Não sei o que queres
Se é que queres algo
Talvez queira
Apenas enlouquecer-me

Não sei se é um jogo
Talvez eu seja
Teu brinquedo preferido
Um iôiô ou bumerangue

Não entendo tua indecisão
Nem este vai ou não vai
De hoje sim,
Amanhã talvez, quem sabe...

Não compreendo tua atitude
Nem tuas palavras
Agora doces
Outrora amargas...

Não sei qual teu desejo
Talvez insano
Ou puro medo
...Não entendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário