quarta-feira, 25 de maio de 2011

Uma vida mal vivida…

Já vi o sol abraçar-me com vontade
Já senti a dureza da calçada no meu caminhar,
Já fui anjo, já fui demônio, hoje não sou ninguém.
Somente uma bomba a arrebentar.

Um pedaço de areia que vive de chão em chão,
Uma corrente de raiva e ódio,
Um page maker avariado.
Um ser tremendamente desesperado.

Ai como quero um novo monte de ilusões
Uma lavagem cerebral
Um antídoto urgente de felicidade
Um resultado final.

Tenho o desconhecido dentro de mim,
O incerto como condutor de uma alma perdida,
Desorientada, frustrada, amaldiçoada,
Uma vida mal vivida…


Nenhum comentário:

Postar um comentário