quinta-feira, 30 de junho de 2011

Quem sabe seja melhor assim . . .



Talvez as pessoas gostem de ser tratadas com indiferença
Já que o amor que damos se torna cansativo para elas
Talvez o tempo passe e a vida nos mostre que deveria ser diferente
Já que toda entrega da nossa parte foi banalizada pelos orgulhosos

Talvez desistir seja realmente para os fracos
Mas procurei me manter forte até o ultimo momento em que lutei
Talvez isso que se encontra dentro do meu coração seja reconhecido um dia
Caso você consiga enxergar, que nem todos valorizam assim o que prezam
Simplesmente querem, sem dar nada em troca

Talvez nesse tempo eu ainda esteja com os mesmos pensamentos e valores
E quem sabe, com o amadurecimento possamos refletir sobre tudo o que aconteceu
Talvez o amadurecimento não venha, mesmo com o tempo
Ai então só me resta aceitar a vida como ela é, e não como sonhei que seria

Talvez seja verdade que o mundo dê voltas e a gente se encontre
Sendo assim, prefiro esperar, e tentar viver um dia de cada vez
Talvez minha paciência não se estenda a ponto de eu esperar tal feito
Nesse caso, vou saber que realmente ela havia se esgotado há tempos
Então, o que me resta é confiar em Deus pra que ele aja por mim

Esperei dia após dia sua chegada, pra no final decepcionar- me outra vez
Não cheguei a uma conclusão de todos os meus pensamentos
Mas espero que o mundo seja menos confuso do que penso que é
E que meus problemas sejam apenas meus.
Quem sabe seja melhor assim!

Não dá vontade de falar com ninguém . . .


Só eu sei o que estou passando!
Só eu sei dessa culpa, 
Só eu sei desse desespero, 
Só eu sei dessa vontade de ficar sozinho, 
num cantinho qualquer. 

Só eu sei da falta de "coragem", 
do arrependimento de pensar assim... 
Só eu sei da vontade que dá em desaparecer, 
mas também do desejo que grita lá no fundo
bem no fundo da nossa alma, 
um desejo fraquinho implorando por mais uma "chance"...

Sei que a dor é forte, 
sei que o medo é constante.
Sei que o silêncio tem o corte afiado, 
mas as pessoas são "chatas" e não dá vontade de falar com ninguém. 

Sei que muitos não me entendem, 
e os mais próximos de mim são os mais difíceis
sei que queria fugir de tudo o que estou sentindo, 
ou "perder a memória" e esquecer a minha vida inteira...

Só eu sei que mais que tudo a culpa me "enlouquece" 
e sei que nem eu entendo porque estou sentindo tudo isso.

Menina . . .



Quando me deito em meu quarto vazio, apenas o céu me ouve.
Meu sol foi encoberto pela tempestade, estou perdido.
Depois de tudo que passei, depois de me dar por inteiro,
O que aconteceu com o nós?

As paredes caíram sobre mim, nada restou ao meu redor.
Diga-me o que eu faço com os sonhos que eu guardei?
E cada caminho que tomei agora me leva ao desgosto.
Meu o que senti foi tudo destruído, toda minha força se foi.

Ouso a voz da derrota, desejo ir para longe da batalha...
Por que sofrer por algo que nunca existiu,
Por um sentimento que só me fez mal.
Não há mais pensamentos de se reerguer, agora eu não te quero mais!

Procuro por aquela porta aberta.
Nada a fazer se não levantar a minha cabeça e caminhar.
Eu estava perdido, agora estou livre.
Veja, eu estou indo em frente e não pretendo voltar atrás.

Menina, eu não te quero mais.
Eu tenho o destino em minhas mãos e já tracei meus planos.
Sua Estúpida, se pudesse ver o que há dentro de mim, o que há além de mim,
Notaria um cara assustado, com medo, que não é sempre forte.

Você não pode ver o ferimento que há em mim,
Seu coração precisaria de tempo que já não há mais.
Quando me deito em meu quarto vejo sua face,
Assisto você sozinha, sem ninguém para enxugar suas lágrimas.

A vida nos dá o direito de ser livres e sofrer sozinhos.
Viverei minha vida sem arrependimentos.
Não terei vergonha das escolhas que fiz, das palavras que proferi.
Menina, eu não te quero mais.
Seguirei meu instinto ...

terça-feira, 28 de junho de 2011

Um dia você aprende que...



Depois de algum tempo você aprende a diferença, a subtil diferença entre dar a mão e acorrentar uma alma.
E você aprende que amar não significa apoiar-se, e que companhia nem sempre significa segurança.
E começa a aprender que beijos não são contratos  e presentes não são promessas
E começa a aceitar suas derrotas com a cabeça erguida e olhos adiante, com a graça de um adulto e não com a tristeza de uma criança.
E aprende a construir todas as suas estradas no hoje,
porque o terreno amanhã é incerto demais para os
planos,
e o futuro tem o costume de cair em meio ao vão.
Depois de um tempo você aprende que o sol queima
se ficar exposto por muito tempo.
E aprende que não importa o quanto você se importe,
algumas pessoas simplesmente não se importam...
E aceita que não importa quão boa seja uma pessoa,
ela vai feri-lo de vez em quando
e você precisa perdoá-la por isso.
Aprende que falar pode aliviar dores emocionais.
Descobre que se leva anos para se construir confiança
e apenas segundos para destrui-la,
e que você pode fazer coisas em um instante,
das quais se arrependerá pelo resto da vida.
Aprende que verdadeiras amizades continuam a crescer
mesmo a longas distâncias.
E o que importa não é o que você tem na vida,
mas quem você tem na vida.
E que bons amigos são a família que nos permitiram
escolher.
Aprende que não temos que mudar de amigos
se compreendemos que os amigos mudam,
percebe que seu melhor amigo
e você podem fazer qualquer coisa,
ou nada, e terem bons momentos juntos.
Descobre que devemos deixar as pessoas que amamos com
palavras amorosas,
pode ser a última vez que as vejamos.
Aprende que as circunstâncias e os ambientes
tem influência sobre nós,
mas nós somos responsáveis por nós mesmos.
Começa a aprender que não se deve
comparar com os outros,
mas com o melhor que pode ser.
Descobre que se leva muito tempo
para se tornar a pessoa que quer ser,
e que o tempo é curto.
Aprende que não importa onde já chegou,
mas onde está indo, mas se você não
sabe para onde está indo,
qualquer lugar serve.
Aprende que, ou você controla seus actos
ou eles o controlarão, e que ser
flexível não significa ser fraco
ou não ter personalidade,
pois não importa quão delicada
e frágil seja uma situação,
sempre existem dois lados.
Aprende que heróis são pessoas
que fizeram o que era necessário fazer,
enfrentando as consequências.
Aprende que paciência requer muita prática.
Descobre que algumas vezes
a pessoa que você espera que o chute,
quando você cai é uma das poucas
que o ajudam a levantar-se.
Aprende que maturidade tem mais a ver
com os tipos de experiências que se
teve, e o que você aprendeu com elas,
do que com quantos aniversários você celebrou.
Aprende que há mais dos seus pais em você
do que você supunha.
Aprende que nunca se deve dizer
a uma criança que sonhos são bobagens,
poucas coisas são tão humilhantes,
e seria uma tragédia se ela acreditasse nisso.
Aprende que quando está com raiva
tem o direito de estar com raiva, mas isso
não lhe dá o direito de ser cruel.
Descobre que só porque alguém não o ama do
jeito que você quer que ame,
não significa que esse alguém não sabe amar,
contudo, o ama como pode,
pois existem pessoas que nos amam,
mas simplesmente não sabem como demonstrar
ou viver isso.
Aprende que nem sempre é suficiente
ser perdoado por alguém,
algumas vezes você tem que aprender
a perdoar-se a si mesmo.
Aprende que com a mesma severidade com que julga,
você será em algum momento condenado.
Aprende que não importa em quantos
pedaços seu coração foi partido,
o mundo não pára para que você o conserte.
Aprende que o tempo não é algo que possa
voltar para trás, portanto, plante seu jardim
e decore sua alma,
ao invés de esperar que alguém lhe traga flores...
E você aprende que realmente pode suportar...
que realmente é forte,
e que pode ir muito mais longe depois de
pensar que não se pode mais.
E que realmente a vida tem valor
e que você tem valor diante da vida!
Nossas dúvidas são traidoras
e nos fazem perder o bem que poderíamos
conquistar, se não fosse o medo de tentar.

Willian Shakespeare

sexta-feira, 24 de junho de 2011

Simplesmente Mulher



Você é linda!
Absurdamente linda!
Tens idéia quanto?
O tamanho do teu encanto?

Ainda quando te vestes e
chegas em deslumbrantes variações…
Levantando de teu amado
todas as tentações…

Você é linda realmente!
Ainda que na pura simplicidade…
Ao natural, percebes?
Sem qualquer maquiagem!

Tens um jeito de sorrir que contagia…
Uma forma elegante no andar!
É que andas tão ocupada,
nem percebes de teu amor, o suspirar!

Ainda que tenhas vida simples e
não sejas uma empresária ou doutora…
És linda, igualmente,
uma eterna professora!

Ensina e nos cativa, nos mantém apaixonados!
Com o desprovimento do “ter”
e o “ser”, lapidado!
Pobre homem pequeno, minguado…
Diante da tua beleza, perdido em tantos pecados!

Alguns deles:
não te enxergar como devia,
estar sempre tão ausente!
Não te amar como devia…
Incondicionalmente!

Você é absurdamente linda!
Ainda que cuide meramente do lar.
Será que não inibiram de teus caminhos
as possibilidades todas?
É questão de pensar!

Ainda que tenhas sucesso…
Tens uma eterna carência!
Mesmo que tenhas uma certa idade,
dentro de ti há uma eterna adolescência…

De querer sonhar,
de querer amar…
De querer, acima de tudo, um amor
derradeiro e
neste teu esperar…

Doa-te por inteira!
Você é incrivelmente linda!
Movimenta a candura no mundo, o amor…
Em todos os lugares onde te encontras,
és o toque divino do Senhor!
Porque és simplesmente mulher,
a coisa mais linda neste mundo dos mortais!
Muito embora diferentes no aspecto físico,
tão belas, tão grandes,
tão iguais!

Saudade do que Sonhei Sem ter Adormecido


Sentir saudade… é recriar a vida…
É ter belas histórias para contar.
Retomar a linda estrada perdida…
Decifrar os doces mistério do mar.
Sentir saudade… é reviver o belo…
Aspirar o mais delicado perfume,
Reascender no peito o íntimo anelo,
Ter no coração esplendoroso lume.
Sentir saudade… é ouvir a voz amiga,
Voejar além do tempo e do espaço…
Cantarolando uma agradável cantiga,
Pressentir aquele caloroso abraço…
Sentir saudade… é restabelecer o amor
Em toda sua meiguice e grandeza…
Desprezar o ódio… e todo o rancor…
Perceber do afeto… toda a nobreza.
Sentir saudade… é te amar sempre…
Nos momentos que estás ausente,
Na distância… no desejo fremente…
E muito mais, quando estás presente!
Sentir saudade… é chorar simplesmente…
Escutando uma canção bela e comovente,
Esperar-te emocionado…. e impaciente…
É sorrir, quando te vejo em minha frente!…

quinta-feira, 23 de junho de 2011

Invisível como Nada



O homem não sabe o que vai ser da vida,
necessita de sonhos, ainda que negue,
de amor, mesmo que solitário,
da mulher ainda que morra mil vezes.
Os olhos são perfeitos quando dormem,
o tempo pára no meio do sonho bom,
não contamos os dias antes do beijo,
os abraços quando estamos agasalhados.
Quando o escuro vem, a tempestade cai,
o corpo rola do sonho bonito
como se caísse da beira de uma nuvem,
do céu que eu mesmo criei um dia.
É mal fazer plano, montá-los como criança,
a dor de amor não tem remédio, dói,
somente dói como nada, invisível como nada,
assim vai outro amor, como nada, outra verdade.
Às vezes tem festa dentro de mim,
mudo os sonhos, acho que os realizei todos,
então distribuo brindes, abraços,
devoro cada gosto como se fossem doces de vida.
Acordo de manhã, depois de um pesadelo ou dois,
inflo o peito, o ar acabou, não me vejo no espelho,
fui outra vez irresponsável pelo amor que dei,
troquei minha vida por um nada de felicidade.

O caminho não esta feio



O caminho é longo.
È preciso constituí-lo todos os dias.
O caminho é pedregoso.
É preciso desviar das pedras,
Quebrar as rochas e seguir avante,
Pois quando se busca o cume das montanhas
Não se dá importância às pedras do caminho.

O caminho não está feito.
É preciso construí-lo todos os dias.
Arrancando espinhos, derrubando barreiras.
O caminho às vezes, escurece.
É preciso estar prevenido,
Não deixando nunca a lâmpada sem azeite.
Estar pronto para tudo que acontece.

É preciso uma esperança profunda, sem limites.
A certeza de que, não estamos sós nesta jornada.
Mas somos um povo construindo a sua estrada.
Em busca de um mesmo ideal, e mesmo fim.
Tu que andas por este caminho,
Percorre-o até o fim.
Constrói este caminho, dia a dia
Caminhe sempre…

Não importa que haja quedas, é preciso confiar,
seguir avante, como peregrino, crescendo na fé e no amor.
Caminhando sempre com confiança, de mãos dadas,
 com coragem,crédito, em busca da plena comunhão,
 pois o amanhã terá tua fisionomia.

Saudade é Permanente


A gente tenta lidar, de uma forma ou de outra, com os percalços da caminhada e descobre sempre uma alternativa para driblar os inconvenientes que surgem, desacomodando a vida.

Uma decepção, um desencanto, uma perda, um dissabor ... Tudo isso e muito mais, o tempo consegue apagar, silenciar, dissipar. O passar das horas, o relógio da existência, tem um efeito balsâmico e reparador.

É medicamento eficaz que ajuda na convalescença de enfermidades várias. Porém, existe uma contra-indicação: - é inútil tentar usar o tempo para combater a saudade. Saudade é imune à ação do tempo. Aumenta a medida em que os dias passam e extrapola para além dos limites dos anos.

Existe saudade antiga e saudade nova. Saudade de muito e saudade de longe. Saudade de antes e saudade de sempre. E porque é viva, saudade é permanente, é constante, é fiel.

Saudade de cadeiras nas calçadas em fins de tarde ... saudade de fins de tarde com sol desmaiando nos braços da noite ... saudade da noite plena de estrelas, brilhando no campo negro do espaço ... saudade do espaço entre o pranto e o riso ... saudade do riso da infância e da festa da inocência ... saudade da inocência e da ausência de sofrimento. Saudade do amanhecer de ontem e saudade da noite anterior.

De grande e pequena saudade é feita a vida de cada um. E, porque não existe remédio, estende-se como epidemia, contaminando, indistintamente, homens e mulheres de todas as idades.

Saudade é fonte de inspiração, tema de livros, de cartas guardadas, de páginas amarelecidas.

Saudade é o que fica, é o que resta sedimentado, no cartório da vida; registros documentais do que foi, ontem e antes, comprovando os acontecimentos com firma reconhecida e autenticada.

E como a saudade é bonita, reflete no espelho da memória a beleza de tudo que a enfeita, nessas lembranças presentes do que se supõe ausente.

Saudade é artesã que tece tapetes coloridos e pinta arco-íris no céu interior de quem a conhece.

E a saudade já está comigo. A mesma saudade que motivou esta crônica ... Uma saudade que se renova, como um rapaz faceiro, alheio ao que passou, aguardando ansioso a véspera do acontecer para acrescentar mais jóias ao seu tesouro. Pois a saudade tem sempre saudade de tudo que é valioso.

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Ramirez - é muito Bom


Menininha . . . 
Quantas vezes vou fingir estar tudo bem?
E dizer que nada disso me importa, se tudo pra mim é ter você,
menininha, a dona do meu coração
Gosto tanto do seu jeito de olhar..
Como é bom poder sentir seu carinho,
Jurava que nunca iria encontrar um grande amor
Cada dia que se vai sem você é um castigo e eu sei que só me faz
sofrer de amores por você
Sempre vou estar aqui pra te ouvir..
Quando estiver triste ou feliz..
O tempo e a distância não levam você pra longe de mim
Eu às vezes penso em te esquecer mas quando te encontro não
consigo mais parar de te olhar..
Algum dia ainda vou te mostrar o que eu sinto por você

sábado, 11 de junho de 2011

Namorada


É, um dia você aceitou ser minha namorada, e como até hoje não disse o contrário , me dou a liberdade  de teorizar quem não tem namorada, quem não sabe o que é namorar.
Quem não tem namorada é alguém que tirou férias não remuneradas de si mesmo. 
Namorada é a mais difícil das conquistas. 
Difícil porque namorada de verdade é muito rara. Necessita de adivinhação, de pele, saliva, lágrima, nuvem, quindim, brisa ou filosofia. Paquera, gabiru, flerte, caso, transa, envolvimento, até paixão, é fácil. 

Mas namorada, mesmo, é muito difícil. Namorada não precisa ser a mais bonita, mas ser aquela a quem se quer proteger e quando se chega ao lado dela a gente treme, sua frio e quase desmaia pedindo proteção. A proteção não precisa ser parruda, decidida; ou bandoleira basta um olhar de compreensão ou mesmo de aflição. 
Quem não tem namorada é quem não tem amor é quem não sabe o gosto de namorar. Há quem não sabe o gosto de namorar. Se você tem três pretendentes, duas paqueras, um envolvimento e duas amantes; mesmo assim pode não ter nenhuma namorada. 
Não tem namorada quem não sabe o gosto da chuva, cinema sessão das duas, medo do pai, sanduíche de padaria ou drible no trabalho. 

Não tem namorada quem transa sem carinho, quem se acaricia sem vontade de virar sorvete ou lagartixa e quem ama sem alegria. 
Não tem namorada quem faz pacto de amor apenas com a infelicidade. Namorar é fazer pactos com a felicidade ainda que rápida, escondida, fugidia ou impossível de durar. 
Não tem namorada quem não sabe o valor de mãos dadas; de carinho escondido na hora em que passa o filme; de flor catada no muro e entregue de repente; de poesia de Fernando Pessoa, Vinícius de Moraes ou Chico Buarque lida bem devagar; de gargalhada quando fala junto ou descobre meia rasgada; de ânsia enorme de viajar junto para Uberaba ou mesmo ficar escondidos no quarto. 
Não tem namorada quem não gosta de dormir agarrado, de fazer cesta abraçado, fazer compra junto. 

Não tem namorada quem não gosta de falar do próprio amor, nem de ficar horas e horas olhando o mistério do outro dentro dos olhos dela, abobalhados de alegria pela lucidez do amor. 
Não tem namorada quem não redescobre a criança própria e a da amada e sai com ela para parques, fliperamas, beira - d'água, bosques. 
Não tem namorada quem não tem música secreta com ela, quem não dedica livros, quem não recorta artigos; quem gosta sem curtir; quem curte sem aprofundar. 
Não tem namorada quem nunca sentiu o gosto de ser lembrado de repente no fim de semana, na madrugada, ou meio-dia do dia. 

Não tem namorada quem ama sem se dedicar; quem namora sem brincar; quem vive cheio de obrigações; quem faz sexo sem esperar o outro ir junto com ele. 
Não tem namorada quem confunde solidão com ficar sozinho e em paz. 
Não tem namorada quem não fala sozinho, não ri de si mesmo e quem tem medo de ser afetivo. 
Se você não tem namorada porque não descobriu que o amor é alegre e você vive pesando duzentos quilos de grilos e medos, ponha a bermuda mais leve, aquela rasgada mesmo e passeie de mãos dadas com o ar. De alma escovada e coração estouvado, saia do quintal de si mesmo e descubra o próprio jardim. 

Acorde com gosto de caqui e sorria lírios para quem passe debaixo de sua janela. Ponha intenções de quermesse em seus olhos e beba licor de contos de fada. Ande como se o chão estivesse repleto de sons de flauta e do céu descesse uma névoa de borboletas, cada qual trazendo uma pérola falante a dizer frases sutis e palavras de galanteria. 
Se você não tem namorada é porque ainda não enlouqueceu aquele pouquinho necessário a fazer a vida parar e de repente parecer que faz sentido. ENLOU-CRESÇA.
Assim você poderá ficar como eu, enamorado, bobo e encantado.
Feliz dia dos namorados minha LINDA !!!!!

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Amigo mesmo modifica a nossa história





Amizade não é dependência, submissão.
Não se têm amigos para concordar na íntegra, mas para revisar os rascunhos e duvidar da letra.
É independência, é respeito, é pedir uma opinião que não seja igual, uma experiência diferente.
Se o amigo desaparece por semanas, imediatamente se conclui que ele ficou chateado por alguma coisa.
Diante de ausências mais longas e severas, cobramos telefonemas e visitas.
E já se está falando mal dele por falta de notícias.
Logo dele que nunca fez nada de errado!
O que é mais importante: a proximidade física ou afetiva?
A proximidade física nem sempre é afetiva.
Amigo pode ser um álibi ou cúmplice ou um bajulador ou um oportunista, ambicionando interesses que não o da simples troca e convívio.
Amigo mesmo demora a ser descoberto.
É a permanência de seus conselhos e apoio que dirão de sua perenidade.
Amigo mesmo modifica a nossa história, chega a nos combater pela verdade e discernimento, supera condicionamentos e conluios.
São capazes de brigar com a gente pelo nosso bem-estar.
Assim como há os amigos imaginários da infância, há os amigos invisíveis na maturidade.
Aqueles que não estão perto podem estar dentro.
Tenho amigos que nunca mais vi, que nunca mais recebi novidades e os valorizo com o frescor de um encontro recente.
Não vou mentir a eles ¿vamos nos ligar?¿ num esbarrão de rua.
Muito menos dar desculpas esfarrapadas ao distanciamento.
Eles me ajudaram e não necessitam atualizar o cadastro para que sejam lembrados.
Ou passar em casa todo o final de semana e me convidar para ser padrinho de casamento, dos filhos, dos netos, dos bisnetos.
Caso encontrá-los, haverá a empatia da primeira vez, a empatia da última vez, a empatia incessante de identificação.
Amigos me salvaram da fossa, amigos me salvaram das drogas, amigos me salvaram da inveja, amigos me salvaram da precipitação, amigos me salvaram das brigas, amigos me salvaram de mim.
Os amigos são próprios de fases: da rua, do Ensino Fundamental, do Ensino Médio, da faculdade, do futebol, da poesia, do emprego, da dança, dos cursos de inglês, da capoeira, da academia, do blog. Significativos em cada etapa de formação.
Não estão em nossa frente diariamente, mas estão em nossa personalidade, determinando, de modo imperceptível, as nossas atitudes.
Quantas juras foram feitas em bares a amigos, bêbados e trôpegos?
Amigo é o que fica depois da ressaca.
É glicose no sangue.
A serenidade.