quinta-feira, 21 de julho de 2011

Mais uma Vez . . .

Só queria sua atenção



Só queria sua atenção
Não queria mais que conversar
Talvez não tivesse razão
Para comigo você não falar
Para você queria dizer
Que com você quero estar
Dizer que sem você não sei viver
Me de uma chance pra te amar
Você diz que sou exagerado
Diz que não sirvo para você
Mas quero ser teu namorado
Pois sem você não sei viver
Tenho medo de não te conquistar
Tenho medo de te perder
Preciso de uma chance pra te amar
Por que sem você vou enlouquecer
Para finalizar gostaria de falar
Que sem você vou ter que partir
Já que não posso te amar
Qual sentido de ter que existir?
(autoria Fernando Gromiko, Cosmissismo)

quarta-feira, 13 de julho de 2011

Preso Sem Saída



Sei que a cada minuto sinto sua presença,
Algo que não poço revelar,
Muda dentro de mim,
Me faz sonhar, acreditar que ser Feliz,
Ao Lado seu, basta te seguir.

Hoje, vejo que a cada olhar seu me desmancho em lágrimas,
Me vejo refletido em seu coração,
Que já pertence a outro alguém,
Que por você já foi amado, acariciado, de amor por ti jurado,
Dói esta incerteza que rodeia meu coração!

Tô sentindo o desejo da entrega,
Mas Sozinho não dá!
Já tentei sair das teias que a vida tece sobre nós,
Mas não deu, não consegui fugir,
Me vi preso sem saida.

Mas um dia irei retornar,
Sem a lembrança no ar,
Quem me enganas,
Me trai a confiança,em ti depositada,
Que em outros braços te deleitas,
Sentindo o prazer, o fogo por entre....

Mas um dia eu vou voltar....
Sem ao menos perceber,
Vou te encontrar,
E veremos que a Fantasia do amor passa para todos,
E que se deixar cobiçar só destrói
O poderia ser um dia lindo,limpo, Sagrado...
Só para mim.

domingo, 10 de julho de 2011

Oração do Motociclista


Senhor, aqui estamos nós, um motociclista, sua sua paixão sobre rodas e uma longa estrada pela frente, no peito coração pulsando feito o compasso do motor. Em minhas veias corre o sangue que alimenta o espirito de aventura. Sinto a sensação da liberdade, que só só um motociclista sabe definir. 


Sei que em cada trecho da estrada, preciso de atenção redobrada, preservando assim minha vida e a dos companheiros de jornada. Que eu possa desbravar e percorrer milhares de milhas com segurança e responsabilidade. Que o ronco do motor da motocicleta, minha canção preferida mantenha-me alerta e cuidadoso, e o Anjo de guarda me conduza pela estrada mais segura, para que em todo o percurso, possa sentir a emoção da aventura com minha Moto, sentindo-me, verdadeiramente livre. 


Pois viajando com ela estou vivendo a vida, do meu jeito, voando baixo pela estrada, conquistando novas amizades em cada parada. Levando o verdadeiro espírito do motociclismo aos quatro cantos do sul, preservando a humildade, companheirismo, e o respeito pela motocicleta minha companheira de estrada, mostrando que para o verdadeiro motociclista, o que importa não é a cilindrada, mas, a motocicleta em si. Que em cada lugar por onde passar, fique um pouco da magia do motociclismo, que o senhor, Nosso "Deus" proteja todos nós motociclistas, agora e sempre, Amém!


Dedico essa Oração á você que ama viajar de moto.

Sabedoria !!!


A coisa mais injusta sobre a vida é a maneira como ela termina. Eu acho que o verdadeiro ciclo da vida está todo de trás pra frente. Nós deveríamos morrer primeiro, nos livrar logo disso.

Daí viver num asilo, até ser chutado pra fora de lá por estar muito novo. Ganhar um relógio de ouro e ir trabalhar. Então você trabalha 40 anos até ficar novo o bastante pra poder aproveitar sua aposentadoria. Aí você curte tudo, bebe bastante álcool, faz festas e se prepara para a faculdade.

Você vai para colégio, tem várias namoradas, vira criança, não tem nenhuma responsabilidade, se torna um bebezinho de colo, volta pro útero da mãe, passa seus últimos nove meses de vida flutuando. E termina tudo com um ótimo orgasmo! Não seria perfeito?




Mesmo assim, A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração, sorrir às pessoas que não gostam de mim, para mostrá-las que sou diferente do que elas pensam,calar-me para ouvir, aprender com meus erros,afinal, eu posso ser sempre melhor!

Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade,
Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar,a abrir minhas janelas para o amor.E não temer o futuro,A lutar contra as injustiças.Sorrir quando o que mais desejo é gritar todas as minhas dores para o mundo.

Fazer de conta que tudo está bem quando isso não é verdade.Para que eu possa acreditar que tudo vai mudar.

terça-feira, 5 de julho de 2011

Eu te quis tanto... Que me perdi neste sentir de emoções



Ouve um tempo , em que eu era todo seu, e você sabia . . .
Mas a indiferença , dominada por uma ilusória felicidade, te privou de me ver como eu queria.
Tantas foram a palavras, que em meio a distância nítida em nossas vidas – te fez escolher o incerto. Tanto eu te quis . Me coloquei na mais triste posição em que um homem pode se colocar perante uma mulher; e eu disse tudo e mostrei tudo – pelo menos o que me permitiu você.    Você se trancou, e me vi ali, no meio do nada, tentando ver a placa daquela carreta que destroçou todo aquele sentimento.            

 Culpa minha , de fato , não pude mais controlar a angustia de te ver infeliz, atrás de um sorriso falso – e assim decidi, sair de sua presença, tentar curar o mal que me fez, usei de malefícios para tentar tirar de mim aquela sensação que você me colocou – de todas as marteladas de seu olhar, das bofetadas deste teu sorriso em mim .             Bloqueie em mim sua presença, mesmo sua voz , mesmo tua imagem, mesmo teu sorriso . . .

Afastei de mim sua presença física, tentei desfazer das coisas que me lembram você, tentei ser o mais feliz que pude, não pude, e só causei dor a outra pessoa, e vi o que me tornei, me tornei você – brincando com sentimentos alheios. Vi que não somos diferentes, e percebi por um instante o quanto teríamos sido felizes – e mesmo assim eu me disse não!!

Em vão . . .
Ainda esta aqui , aquele seu “puxadinho” em meu coração , é habitável, e ainda rego as flores no para peito, e sobre a janela ainda esta seu chocolate favorito,  tudo te espera . . .
Vivo dias de tortura, noites de tormento, horas de angustia, não sei sair de onde estou, não sem me machucar – e não quero mais dor, não , não quero. . .

Ainda esta aqui, ainda dói , me anestesia , me deixa fraco quase apagado, vivo no automático, rio, brinco , choro – tento caminhar, mas o pensamento me trai a cada aroma , a cada lembrança involuntária- a culpa e minha, e ponho ela em quem eu quero, e ela é minha, toda minha .
O que não te priva de todo ódio e rancor que luto para esquecer, você tirou o melhor de mim, e como um nada, deixou de lado , meio assim, assim . . .


Me transformou em uma página, como muitas arrancadas para o esquecimento, e ainda hoje tenta, sorrir por um momento, e acreditar que não tem culpa de nada do que aconteceu, pois é fácio se manter inocente aos olhos julgadores,  e vejo a
verdade implícita mostrando que a embriaguez dos insensatos depois da doçura de tolices, levam a si próprios ao vômito do mais puro fel.

domingo, 3 de julho de 2011

Nada além de um palhaço



Não leva nada consigo alem de sonhos, para traz , apenas a platéia a gargalhar.
No peito , dores , sonhos e ilusões de uma breve carreira, marcada por risos e aplausos da vibrante platéia ao longe, nada fez de importante, e o picadeiro que outrora fora sua morada, agora outro encena o espetáculo , traz alegrias e novos sonhos ao palco .

Assim sai o palhaço de cena, deixa para traz o que tinha, o que valia a pena, a platéia feliz porem pequena – deixa ela nos braços de outro que a fará chorar, de tristeza , de remorso quem sabe , ou apenas chorar – a platéia ficou agora onde os anseios e sonhos se confundem com lembranças – no passado.

Assim o palhaço sai de cena, com as vestes pulidas com estripulias, com a cara inchada de tanto forçar um sorriso – com a flor roxa dos otários indo pro lixo, sem sapatos agora com os suspensórios  amarados – com elásticos frouxos e calçolas a cair.

Assim o palhaço sai de cena, sem o chapéu coco,  - e no peito um coração costurado, sem vida – sem espetáculo sem aplausos ; e de longe só admira a alegria do público que ele queria só seu  .

Assim o palhaço sai de cena, na certeza de ter feito mas que podia ser feito, é verdade que não é perfeito, mas a platéia sorria – a platéia também não mentia – é verdade que ela sorria, mas outro show ela preferia – não ela nunca mentira.

Assim sai o palhaço, mudo sem nada dizer  - a platéia não quer tanta felicidade , apenas a certeza do que já tem  - o mínimo que tem para esboçar um sorriso amarelo e sem graça e em um soluço, dar um riso .

Aqui vai o palhaço, cabisbaixo  - apaixonado pelo picadeiro que agora outro encena um pobre espetáculo, e a platéia – ali só aguardando  - quem sabe a platéia se cança e ali no canto, perceba que cabisbaixo na penumbra da coxia existe aquele velho palhaço  chorando. . .

La vou eu o palhaço, de nariz vermelho e pés descalços, maquiagem borrada , chorando aplausos – caminhando no esquecimento-é verdade e não escondem , o coração da mulher é um picadeiro, onde o único palhaço é o homem. . .

Olha pra mim . . .  nada além de um palhaço .

sexta-feira, 1 de julho de 2011

Tudo se Explica



Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.

Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta
um capítulo.

Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.

Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.

Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.

Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.

Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.

Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.

Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.

Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.

Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.

Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.

Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.

Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.

Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.

Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.

Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.

Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.

Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.

Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.

Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.

Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?

Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,
Esse negócio de amor, não sei explicar