segunda-feira, 7 de novembro de 2011

A Chuva e o Vento




É meia-noite passada...
ouço pingos na calçada
o vento puxa a chuva pr’uma dança

Bailam livres abraçados

parecem dois namorados
brincando sob o luar

Cansados, cessam os pingos

molhados, porém, sorrindo
se deixam, se bem, não querem

Observo da janela:

o vento olha pra ela
que se vai bela e distante

Lá se foi rodopiando

outras paisagens banhando
cumprindo sua missão

O vento se vê sozinho

não vê mais outro caminho
que não tenha a sua amada

Temendo não ser aceito

sentindo uma dor no peito
foge gritando sua dor

Mas ela o vê e o aceita --

Vento e Chuva se espreitam
numa promessa de amor!

Fecho o vidro da janela

apago sorrindo a vela
e me decido enfim dormir

Durmo num doce alento

sabendo que chuva com vento
sempre haverá de existir!

Nenhum comentário:

Postar um comentário