quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Peregrino





Sou peregrino do mundo,
nasci com uma missão sagrada,
fui educado sempre no silêncio,
cantava e ria rumo a escalada.

Sou turista da vida desde mui criança,
brincava e ria na poeira de estrelas,
nos caminhos de flores e de tarde mansa,
dizia ao mundo que podia vê-las.

Sou peregrino do tempo e sozinho ando,
com a roupagem do sonho e da ilusão.
Pelos verdes prados ando buscando,
a liberdade, a luz, e esta canção.

Sou turista da sorte fui iluminado,
pelos grandes mestres desta vida errante.
Escrevendo e a declamar encantado,
poesia sagrada de azul diamante.

Sou peregrino da chuva, minha companheira,
que forma poças que eu vivo a pisar.
Maravilhado qual asas ligeiras,
de beija - flores sempre a rodopiar.

Sou turista do sol, filho de Rá,
sou fonte de calor e muita energia,
que espalho sempre, aqui e acolá,
nos versos brandos da minha poesia.

Sou peregrino do amor, dádiva divina,
que recebi feliz tal doação.
Andarilho da terra sou o peregrino,
na busca incessante, ser só coração.

Sou turista do planeta, esta é a minha sina,
cumprindo a missão que consigo vê-la,
trocarei a roupagem lá na minha esquina,
e voltarei contente para minha estrela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário