segunda-feira, 2 de maio de 2011

Mulher com mulher, todo homem quer






Acho que até hoje não conheci nenhum homem que fosse contra ver duas mulheres se beijando. Contra é modo de dizer, por que na verdade a maioria tem um ataque de excitação fulminante ao ver, ao vivo, a cena mais prazerosa de qualquer filme pornô: Duas belas mulheres se beijando.
De preferência se beijando em cima da cama.
E para melhorar, se beijando em cima de uma mesa de sinuca.
As mulheres em geral se perguntam por que tal cena causa tamanha erupção hormonal masculina, e eu estou pronto para tirar essa dúvida e quem sabe convencê-las a oferecer esse show para o seu parceiro.
Grande parte descreve que o desejo de ver duas mulheres se beijando, mas precisamente, duas mulheres participando de uma transa, como no famoso Ménage, vem da sensação de poder que o homem passa a sentir. A possibilidade de ser desejado e conseguir satisfazer duas mulheres que já conseguem se satisfazerem faz o homem crer que é o centro da volúpia feminina,  e que enquanto alguns não possuem nem uma mulher, ele consegue ter duas.

Sem falar que a maioria dos homens sente-se bem quando estão sobre o controle da situação, principalmente durante o sexo. A perda do controle pode ser um gerador de excitação muito maior do que a manutenção do mesmo, sendo assim, ter na frente duas mulheres maravilhosas pode sinalizar a completa perda de controle da situação futura, afinal, elas não precisam dele para se satisfazer, estão abrindo espaço para que ele participe da brincadeira, e ele vai precisar ser muito eficiente para conseguir isso. A incerteza gera excitação.

Um terceiro detalhe, não menos importante, está na preferência masculina pela excitação visual. As mulheres, ao contrário, possuem maior preferência pela excitação tátil e também auditiva, enquanto os homens se encantam com fotos de mulheres nuas, vídeos, e claro, olhar para a figura feminina desnuda, pronta para satisfazê-lo.
Se ver uma mulher é bom, olhar para duas é melhor ainda.

Esse fetiche masculino é tão avassalador quanto o fetiche feminino com bombeiros sarados (ou qualquer outra variação de bombeiros kkkk), e como todo bom fetiche deve ser avaliado com carinho e quem sabe colocado em prática.
E sim, eu aconselho as mulheres a provocarem a imaginação masculina. Experiência própria… Não há nada mais delicioso que a cara de desejo, prazer, excitação e encanto que nós homens ao ver uma de nossas maiores fantasias realizada.

Afinal, o que querem as pessoas?




Saciando meu momento “tomei toda a garrafa de vinho” peguei isso daqui que havia escrito faz algum tempo, onde me perco em pensamentos lembrando do filme “Do que as mulheres gostam?”:
Assisti umas 8 vezes até agora, e realmente é bom, não é fenomenal pois pincela vários problemas, e em um primeiro momento pode passar despercebido, mas cada trecho subentende um conflito do ser humano. O Filme não se restringe ao o que querem as mulheres, e também o que os homens querem, o que os homens pensam que elas querem, o que as mulheres pensam que elas querem, o que as mulheres pensam que os homens querem, o que os homens pensam das mulheres, o que as mulheres pensam dos homens, e por aí vai…
Mas o interessante de tudo isso, e o motivo principal do Filme apenas pincelar todos estes “dramas”, é que assim mostra como tanta preocupação com tais assuntos, acaba por afastar as pessoas…
O que as mulheres querem (respondido pelas mulheres):

1 – Dinheiro
2 – Comprar, comprar, comprar (13%)
3 –  Sexo (13%)

O que os homens pensam que as mulheres querem (respondidos pelos homens):

1 – Ser Feliz
2 – Amor e Romance
3 – Dinheiro

Fica evidenciado assim, como há discrepâncias sérias aí. E vou além… Não seria o real problema a forma que o homem FANTASIA a mulher como aquele ser místico e representante de todo o desejo masculino? Quando na realidade elas são como nós, seres humanos com problemas e vontades.
(adendo: Me sinto um imbecíl pois não consigo colocar em palavras o que eu tiro disso, vai tão além, é tão profundo, é tão vasto, causa tantos problemas… Tem coisas que são tão, mas tão simples, que tornam-se imensuravelmente complexas)

Afinal, o que querem as mulheres?

“Na minha vida encontrei muitos corpos femininos, desses alguns desejei algumas satisfiz outras quem sabe satisfarei, mas dessas muitas  mulheres estarei sempre amando só uma. E por que essa e não outra? o que me fará ter medo de perdê-la?  que parte desse corpo? Que gesto dessa mulher? Que palavra?!

O jeito de levar a mão a cintura? Uma mecha de cabelo que cai sobre a testa? O livro que lê sozinha na praia?
São necessários muitos acasos numa teia de coincidências para que eu a encontre.
Enquanto isso não acontece,  estou condenado a buscá-la em estado de suspensão, com o espírito confuso, flutuando como o mar, soprando como o vento, sem verdade, nem palavra.”

Afinal, o que “a gente” quer?

Eu sei mas eu não sei.
Eu sei o que querem que eu queira.
Algo como, ficar rico e ploriferar.
Mas é isso que eu quero?
Todos contam com o que podemos tocar.
Com o que temos hoje.
Com o que teremos amanhã.
Para mostrar, guardar, ostentar, pelos outros.
Quão foda, verdade, quão foda é a vida.
Por que se lembrarmos dos nossos melhores momentos, eles não serão nenhum destes que os outros lembram, serão os mais singelos e bobos… um teclado quebrado, uma cartinha de amor, um beijo roubado, um abraço apertado. Eu queria tanto saber colocar sentimentos em papel, mas essa é a graça de sentimentos, eles são só, mas não só, sentimentos.

A culpa é sua, seu idiota!



O todo é mais que a soma das suas partes”

Eu estava assistindo a uma de minhas séries favoritas “Friends” e a série trata muito de relacionamentos. Neste episódio específico eu “me dei conta” (ou pelo menos me propus a pensar fixamente sobre) de o quanto sofremos a toa por culpa nossa, e só confirma as afirmações de que a fonte de todos nossos problemas e crises de relacionamento com o mundo são frutos da maneira que NOSSA MENTE se relaciona com o mesmo.

Bom, basicamente o episódio que gira em torno do personagem principal da série passa uma mensagem “Todos tem bagagem”.
A partir daí eu comecei a remoer mentalmente, e foi fazendo cada vez mais sentido essa teoria dentro do nosso universo pervertido, e como produto tive estas 3 variáveis:

·         Você não é único ( metaforicamente falando )  na vida dela.
·         Você não é o primeiro, caso seja o primeiro não será o último.
·         O poder das mulheres nos “desligarem”.

O que acontece: 

Conhecemos uma garota, ficamos encantado por sua beleza e pelo que acreditamos conhecer sobre ela, nossa natureza carente por encontrar a mulher certa/desesperada por pegar uma mulher, nos permite criar a imagem mais bela dela. Criamos a perfeita bolha de amor onde os dois se isolam do mundo, e acreditamos fielmente que ela é O QUE DESEJAMOS que ela seja.
Daí pra frente meu amigo…. só desapontamento.

Você não é o único ( metaforicamente falando )   na vida dela!

Meu caro, você se engana muito se pensa que a vida é preto ou branco, bem ou mal. Digamos que a vida seja tons de cinza, e a mesma capacidade que eu tenho para fazer o bem aqui, tenho também para fazer o mal.
Ela está com você mas não está morta, você não é o único homem da face da terra, tem mais gente em cima xavecando, olhando, com desejo, com inveja. E por mais que ela esteja com você agora daqui a alguns meses, semanas, dias, horas ou segundos ela pode não estar. Nada é fixo, nada é para sempre. Você não é o único no páreo, e nem será o único a brincar no playground.
Daqui extraímos que no presente a vida dela e as interações dela não se restringem ao momento vocês.

Você não é o primeiro, caso seja o primeiro não será o último.

Todos tem bagagem, não importa o tipo. Todos trazem para o momento atual da vida fatos que viveram no passado e que de alguma forma os marcou, isso é caracterizado como “bagagem”. Temos exemplos de mulheres “Apaixonada pelo ex”, “mal tratadas”, “traídas”, “apanharam”. Dentre muitos outros… E tais bagagens influenciam sim nas atitudes atuais dela e moldam o comportamento.

( Em psicologia comportamento é a predisposição perante algo e atitude é a ação perante algo.)

Daqui extraímos que fora do momento presente que vai muito além do momento vocês, ela tem os momentos passados que ela já viveu com outros homens que podem ter deixados angústias, receios, saudades, e inevitáveis comparações e também existem os momentos futuros que são as projeções do que ela espera que a vida amorosa dela venha a ser.

O poder das mulheres nos “desligarem”

Você consegue saber quando aquele vendedor quer te empurrar uma porcaria? Sabe quando seu amigo esta mentindo pra você? Sabe quando seus pais te escondem algo? Sabe quando seu time vai perder? Sabe quando o professor fará uma prova realmente difícil?
Provavelmente você respondeu sim a boa parte destas perguntas.
Agora, você sabe como aquela gata ali passando reagiria se você chegasse nela?

“Será que ela vai me dar um toco?” – “Será que ela namora?” – “Será que ela quer que alguém vá falar com ela?”

Reparou qual o problema? ENVOLVIMENTO EMOCIONAL.
As mulheres “desligam”. Qualquer tipo de envolvimento emocional, desejo, compaixão, pena, apreço desliga nosso lado racional. E nos permite tomar atitudes que não tomaríamos normalmente… ou racionalmente (alguns chamariam de coragem, mas esse não é o cerne da questão).
Continuando… com o tempo passando a explosão emocional, vemos racionalmente as merdas que fizemos por uma mulher, ou a forma que agimos, assim surgindo perguntas “Como pude ser tão burro?!”. E daí surge toda aquela bandinha
Agora, vem cá. Não sei se você percebeu, mas eu vou dizer uma vez:

A CULPA É SUA, SEU IDIOTA!

Como eu disse no comecinho do texto, a culpa é da sua mente. Da forma que você se relacionou com ela, se relaciona com o mundo, se relaciona com você mesmo.
NÓS SOMOS A FONTE DE NOSSOS PROBLEMAS E OS PROBLEMAS SÃO DO TAMANHO DA IMPORTÂNCIA QUE DAMOS A ELE.

Sintetizando as variáveis que de como enxergamos as mulheres chegamos a conclusão de como nós somos os agentes principais dos nossos problemas com mulheres. E podemos ir além esta conclusão se aplica a todas as áreas da nossa vida.
“O todo é mais que a soma das suas partes”
O problema aqui é a incapacidade de enxergar além do próprio umbigo, além da própria vida.
Citação:
Exemplo: Se você pegar seu brinquedo preferido da infância, suponhamos que seja um carrinho. A composição dele é: rodas, eixo, carenagem de plástico, pintura. Que forma o que no português cognitivamente chamamos de carrinho. Mas o processo psicológico dele para você é maior, pode te trazer lembranças da infância, ou lembrar de como você não queria dividi-lo com irmão. E para mim pode me lembrar de algum brinquedo, brincadeira ou fato da minha vida. Ambas interpretações são diferentes e vão ALÉM do que é o carrinho em si.
Ou seja, cada coisa na sua vida tem um valor para você. Cada grupo social que você se insere tem um valor para você, e esse valor é diferente do valor que as outras pessoas inseridas nesse mesmo grupo tem do grupo.
Você está inserido em vários grupos: família, escola, vários grupos de amigos, faculdade, trabalho, cidade, prédio, time, país. E desempenha diferentes papéis: filho, pai, irmão, aluno, amigo, melhor amigo, amigo odiado, chefe, empregado, cidadão, vizinho, torcedor.
Você é uma coisa em cada grupo, você se vê com valor diferente em cada grupo, e seja no presente, ou em momentos de vida que você viveu em diferentes grupos. Você foi várias pessoas diferentes.
E se alguém tentar descobrir quem você é somando todas estas suas facetas vai chegar a soma das partes.
Entretanto a soma de tudo isso será apenas uma interpretação para pessoa, quando na realidade a soma de tudo isso é muito mais.

A soma de tudo isso é você.

Somente você sabe as relações entre os vários momentos que você viveu em sua vida, e como eles se relacionam, a soma básica das bases é muito pouco comparado ao significado que elas tem para você, e a relação que elas exercem no seu comportamento e atitudes.
Dito isso, podemos estender essa teoria para todas as pessoas. Todas as pessoas, e todas as mulheres são únicas. Em cada esfera elas tem um valor, que não representa quem elas são de verdade.

Então, por que diabos você acredita que conhece alguém por estar em contato com apenas uma pequena parte do todo desta mulher?
Alguém te conhece de verdade por conhecer apenas uma parte do seu todo?